Quarta Edição: "Intimidade"

 
Editorial
 Adrienne Harris, 22 de janeiro de 2018

Oito escritores exploram o poder e a vulnerabilidade de experiências íntimas ao longo da vida, no mundo e no setting clínico.  Mais.
O que queremos dizer ao usarmos o termo intimidade? Quais são as questões de intimidade que enfrentamos em nossas vidas?
Dr. João Seabra Diniz
Silêncio e Intimidade
Duas pessoas só podem construir um verdadeiro sentimento de proximidade a partir da riqueza da experiência interior de cada uma, e com a clareza do que se sente e do que se é.
O beisebol se apoia no conceito metafórico de casa. O objetivo deste esporte é “chegar em casa” tanto quanto possível.
Prof. Dr. Cláudio Laks Eizirik
Intimidade, ciclo vital e relação analítica
A intimidade tem, desde a antiguidade, uma relação natural com o vínculo, elemento central do ciclo vital e da relação analítica.
Delaram Habibi-Kohlen
Intimidade e suas vicissitudes
"Intimidade" é derivado do latim intimus: "o mais distante da borda, o mais interno possível". Escrever sobre a intimidade significa lidar com um paradoxo.
Quem procura (ou, como muitas vezes, é encaminhado a) um analista, o faz porque tem um sofrimento e demanda seu alívio ou transformação.
Existem distintas situações ao longo do ciclo de vida humano que resultam em um desequilíbrio na intimidade tornando evidente uma maior demanda por trabalho psíquico.
Uma das principais consequências da procriação medicamente assistida é a dissociação entre reprodução e sexualidade. Isso deixou, em seu rastro, enigmas para o pensamento psicanalítico.
 
ÚLTIMOS ARTIGOS DE 30 DIAS
 
 
Dr. João Seabra Diniz
Silêncio e Intimidade
Psic. Andrea Paola Escobar Altare
As formas de Ítaca
Lic. Psych. Ana Paula Terra Machado
Violência: Hiância da Palavra
 
Videos

 
 
Chamada de trabalhos!
 
Chamada para Contribuições sobre "Aprender com a infância / com crianças"

Aprender com a infância / com crianças : reflexões psicanalíticas.

A próxima edição de Psychoanalysis.Today terá como tema  "Aprender com a Infância / com crianças.

Convidamos você a enviar sua contribuição para esta discussão. Você pode escolher entre uma variedade de formatos: textos (até 1000 palavras), filmes (até 10 minutos), imagens, desenhos animados ou entrevistas relacionados com este tema. Receberemos contribuições ligadas à teoria psicanalítica, ao trabalho ou às experiências clínicas.

As contribuições serão examinadas pelo corpo editorial com base em seu conteúdo, interesse, clareza e criatividade. A comissão editorial decidirá sobre a publicação. 

Dr. Daniel Alfredo Biebel (Chair)
Psic. Marina Kon Bilenky
Dipl. Psych. Ursula Burkert (Chair)
Dr. Helen Fronshtein
Dr. Adrienne E. Harris
Mme Isabelle Lafarge
Lic. Liliana Pedrón Martín
Ms. Gouri Salvi